27 de abril de 2007

Jukebox (Banda Euterpia - Cd Revirando o sótão)

Banda Euterpia - Cd "Revirando o sótão"

O cd da banda paraense destila poesia desde o seu encarte. Com um desing diferente e uma fotografia absurdamente linda e nostálgica, "Revirando o sótão" já começou sendo uma festinha para minha alma mesmo antes de seu primeiro sopro de flauta.
Sim!Flauta!A 1° música (Veneza) começa com uma melodia de sopro que me fez lembrar da época em que eu assistia desenhos da Disney, e me arrancou um sorriso simples e doce de criança.
A voz de Marisa é agradabilíssima!Uma mistura de Marisa Monte+Elis Regina que ela sustenta com personalidade, conferindo ao som "euterpiano" a nostalgia de nossas grandes vozes.
Em algumas músicas (como Gramótica e Apague o preço) as brincadeiras instrumentais me lembraram muito Los Hermanos.Assim como em outras (como Atrás de um piso estridente) pude enxergar a cadência e energia dos bons tempos de Tutti Frutti e Rita Lee.
As letras falam do cotidiano. Mas a poesia dessa "vida comum" inunda toda a sala combinada com a deliciosa melodia da banda.
Mesmo com características que nos levam a comparações, Euterpia é uma banda peculiar.Que, revirando o sótão da música brasileira, e tirando a poeira que esteve sobre as melodias doces e trabalhadas, principalmente nessa nossa geração de fast music, consegue fazer um som que combine perfeitamente tanto com o nascer quanto com o pôr do sol nosso de cada dia.

By Patrícia Pirota

5 de abril de 2007

Escrivinhações de baú (apenas um sonho...)

Eu já tive um sonho, que talvez tenha sido compartilhado com milhares de outras pessoas deste mundo.Meu sonho era grande e colorido,cheio de gás e sorrisos.Todos os dias quando eu olhava no espelho, via aquele sonho refletido em meu sorriso de confiança.
Hoje já não tenho mais esse sonho.Deixei-o perdido no passado.Talvez ele me tenha sido roubado.Ou então foi-se acabando com as horas de suor.Quando olho no espelho vejo apenas o vazio que ele deixou.
Não.Ele não foi substituído.Até porque não há outro sonho que seja tão grande e tão importante.
Às vezes ele me olha,lá do baú do passado.Triste por ter ido embora.Pede desculpas por deixar de existir.Mas diz que não podia ser tão forte quanto o mundo.
Meu sonho foi-se esvaindo assim que entrei na faculdade.É.Exatamente nesta época.Foi ficando amarelinho,sem graça,sem vida.Me pediu pra ir comprar doce na esquina e nunca mais voltou.
Desde então fico eu com a revolta.De que talvez ele nunca mais volte.De que tantas outras pessoas que também dependiam dele ficaram com seus sorrisos vazios no espelho também.
Sim!Ele tem nome.Atende quando o chamamos de "um mundo melhor", mas na certidão é registrado como "educação".
Toda vez que olho para meus alunos,uma lágrima escorre em meu pensamento.Por saber que eles não compartilham do meu sonho.Por ver que para eles pouco importa se ele já não brinca mais no parquinho.
Sinto que meu sonho seja como os contos de fadas.Que irão morrer quando ninguém mais acreditar neles.Ficarão lá,escondidos nos livros.
E sinto mais ainda em saber que não sou suficientemente boa para vencer os vilões que o prendem em seus castelos.
Espero que algum dia todas as minhas palavras vãs se espalhem pelo vento, e que meu sonho encontre alguém que o possa defender.Talvez eu esteja apenas na lembrança.Mas o vazio não mais existirá.E poderei voltar a sorrir sem sentir desespero ao pensar que minhas idéias levaram um tiro e morreram por falta de socorro...

Patrícia Pirota 02/04/07