24 de março de 2007

Escrivinhações de baú (simples, sem colorações)

O cinza das paredes está cada vez mais morto.
Se fosse antes eu não suportaria que ele me olhasse assim, tão a ponto de sufocar meus sonhos.Mas hoje não me importo de ter suas íris cravadas em minha carne. Sonhos?Não, obrigada.Nem os da padaria.Secos demais.Doces demais.
Quero poder caminhar sobre a realidade.A que tanto reneguei.Que tanto amaldiçoei.De que me adianta sonhar com o tal pote de ouro no fim das cores, se já me contaram que ele não existe?!Prefiro o suor de 8 horas diárias de batalha, que presenteia minha carteira.
"Não!Não quero o conformismo de ter que bater o ponto às sete da manhã!Não quero me tornar de direita e considerar a Veja honesta e nada sensacionalista.Não quero ouvir Ivan Lins enquanto tomo Martini. Quero continuar correndo atrás de trabalhos e terminá-los às 6 da matina.Quero continuar de esquerda até mesmo à própria esquerda.Quero passar a vida lendo Mafalda e rir da ironia do mundo.Quero escutar Rolling Stones enquanto encho a cara de cerveja."
Olho para as paredes e decido então pintá-las de amarelo.Talvez assim eu consiga transportar um pouco da alma para a realidade.
Não quero mais um mundo de sonhos.Prefiro segundos de realizações...
Enquanto travo luta com minhas veias, a vida passa rápido por demais pela janela.Sem esperar que eu a acompanhe.
Simples, sem colorações.

Patrícia Pirota 23/03/07

2 comentários:

Thon Thon disse...

Não tem muito o q te dizer... sabe q sou suspeito... rsrsrs
Mas eu tinha q comentar o quanto isso é perfeito.. o quanto isso traduz madrugadas de longas conversas, coca cola e cigarros.
Te amo!

Luana disse...

Muito bom... É o que sinto agora, só que explicado direito, pq eu sou pééééssima pra explicar as coisas!rs...
Mas, enfim... deixei um coments no seu flog, mas vou dizer de novo: sinto uma revolta vindo aí... Normal, o q seria da vida sem as pequenas revoltas internas. Peraí... Acho q eu tb tou meio rewvoltada sim... Mais ou menos isso aí que você falou.
Bjo.
*