9 de novembro de 2006

Poemeto - Sentidos

Enquanto caminho na chuva
Penso nos olhos vazios
nos ombros cansados
na correria do mundo
Vejo o sorriso amarelo
a calçada suja
o vidro quebrado
Sinto o nó na garganta
o soco no estômago
a queda da ilusão
Ouço a voz da angústia
o lamúrio do tempo
o tilintar da tristeza
Toco a poeira da solidão
a cicatriz da cultura
as mãos do poder
Tudo no embalo dos sonhos
que não mais carrego
mas que me levam nas asas.

Patrícia Pirota nov./2006

2 comentários:

Luana disse...

Amei as ligações... Esse texto todo entrelaçado... Já disse q vc tem talento pra C*?

E sim, a citação é de A Moreninha, li duas vezes, é lindo o amor deles! E essa parte é a q eu mais gosto.
Bjo
*

Nandra disse...

Patty
quero asas tb
como posso consegui-las?
bjuss