2 de novembro de 2006

Sétima Arte (Estrelando: V de Vingança)

V DE VINGANÇA

"O povo não deve temer seu governo, o governo deve temer seu povo" (V)

Baseado no HQ homônimo escrito por Alan Moore e ilustrado por David Lloyd, V de Vingança conta com o roteiro dos irmãos Wachowski e a direção de James McTeigue.
Talvez o nome dos irmãos Wachowski seria suficiente para alguns alternativos não cogitarem a idéia de ver o filme.Ou então o fato de entre os atores estarem as estrelas Natalie Portman e Hugo Weving. Ou mesmo pelo orçamento do filme ter girado em torno dos 50 milhões de dólares.Ou por ser um filme classificado como ficção científica.
Eu digo que isso seria um verdadeiro sacrilégio!

Apesar de ser um filme aparentemente hollywoodiano, V de Vingança é um belo sopro de (in)sanidade ideológica neste nosso cinema tão "mulherbonitasombraeáguafresca".

Seu enredo é situado em um passado futurista, onde o governo fascista conquistou o poder da Inglaterra após o fim de uma guerra nuclear. O filme se inicia com V(Hugo Weaving) salvando Evey Hammond (Natalie Portman) do ataque dos policiais responsáveis pela ronda noturna da cidade, que vive então um regime totalitarista. A partir daí Evey acaba por se tornar cúmplice de V, que a vê como uma possível comparsa para o seu grande plano contra o governo e em nome da liberdade.

V é um homem escondido por trás da máscara de Guy Fawkes(soldado inglês executado na forca por traição devido a sua participação na Conspiração da Pólvora de 1606) que se proclama anarquista.É um personagem carismático, que usa frases de Shakespeare e demasiadas aliterações para compôr suas falas.Mas acima de tudo, V é a personificação de um ideal.
Quando é perguntada sobre quem é V, Evey diz: "Ele era Edmond Dante. Era meu pai, minha mãe, meu irmão, meu amigo.Era você... e era eu. E era cada um de nós."
V não pode ser encarado apenas como um terrorista. Tampouco como um mero ator a busca de uma grande platéia. V é a proclamação viva da liberdade.

Natalie Portman está irreconhecível no papel de Evey. Ela consegue incorporar todos os sentimentos, todas as expressões, toda a mudança da personagem. E mesmo com o cabelo raspado continua linda.Não com a beleza da Princesa Léa, mas com a beleza que Evey tem na alma.A beleza de uma mulher que encontra seu próprio caminho. Que consegue fazer com que o passado doloroso seja responsável pelo presente de luta, força e altruísmo.

Não há como não dizer que é um filme dos irmãos Wachowski. As cenas de luta,embora poucas, são tal qual Matrix.Coreografadas.Pontuais.Belas.Assim como parte do cenário, que reflete o cinza da alma dos moradores londrinos.

Ao conseguir se enfiltrar na emissora de tv, V espalha por Londres todo o sentimento de, ao mesmo tempo, revolta e ânsia de liberdade. As pessoas passam a encará-lo como um ídolo, tanto pelo seu carisma, como por ele conseguir representar todo o desejo de expresssão que lhes fora tomado pelo governo.

A trilha sonora do filme cai como uma luva, assim como as cores usadas na composição dos personagens e das cenas, tão vermelhas como as rosas da vingança.

"Os artistas mentem para falar a verdade.Os politicos para encobrí-la."(V)
V lembra ao povo de que eles não precisam ficar calados,reclusos em sua casa enquanto o governo toma conta de suas vidas.Relembra-os de quantos morreram para que os homens que estão no poder apenas dissessem a "verdade" que lhes conviesse.

Nesses nossos tempos, em que, veladamente, a política mundial apenas "dá o peixe ao invés de ensinar a pescar", no intuito de continuar impondo ao povo suas falsas promessas e premissas, V seria muito bem vindo.
Em uma das cenas do filme há uma ótima alusão ao ataque de 11 de setembro.Há quem diga que isso apenas incite e dê aprovação ao terrorismo deliberado, mas não posso acreditar que alguém que realmente tenha sorvido o propósito do filme acredite que ele faz apologia à violência.

Podemos considerar V de Vingança como uma bela alegoria aos nossos desejos mais secretos de guerra.Não apenas a guerra entre homens, em que as armas são substitutas de cérebros.Mas a guerra que travamos todos os dias contra a falta de vontade.Contra a falta de amor.Contra a falta de consciência.Contra a falta de voz.Contra a vontade de abandonar o barco.Contra a miséria.Contra a hipocrisia.Contra a ignorância.Contra o contra.

"Idéias são a prova de balas".(V)
Sendo assim, não há armamento no mundo capaz de derrotar uma idéia.Desde a idéia insana de se tornar astronauta até a, considerada tão impossível, de construir uma mundo melhor.

Assista, e sinta-se à vontade para retirar suas máscaras e despir-se de seus medos, para então, por fim a "vendetta" contra o mundo não-ficctício que insiste em lhe mostrar a língua todos os dias de manhã.


4 comentários:

Luana disse...

Agora fiquei mais curiosa ainda pra ver! Culpa sua! Cheio das frases boas esse filme hein?

Bjo
*

Aris disse...

Eu nao vi o filme mas tenho uma pergunta : Esse V não seria o 5 romano (referente à uma data ) e ficaria 5 de Vingança ???

( q pergunta imbecil!!!! mas uma amiga meninininha má me ensinou q nenhuma pergunta é imbecil...)

( escrever comentario em blog de prof de português é froids....)

falow

Delson disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Delson disse...

Aris
esta correto...
o V se deve sim ao algarismo romano
o V relata 2 coisas no filme
o numero 5 que era a cela onde o "V" ficava preso e o dia 5 de novembro

demais assista o filme e delicie-se
é épico!