31 de outubro de 2006

Poemeto - Desilusões frias

"Foi naquele banquinho de jardim
que te imaginei meu
E voou como as vassouras
de minhas ascenstrais
O vento te trouxe como pluma
para sublimar meus toques vazios
Todos os meus sonhos em céu
foram parar no teu olhar
Teus braços lembram-me
as orquídeas cultivadas
entre as lágrimas que plantei
no jardim de minhas
estrelas tortas
Beija eu
com os olhos da saudade
guardada na sombra
que tua alma oferta a minha
No fim da noite calma
que se ia
teus cristais selaram em mim
a noite negra de desilusões frias
mas minhas."
Patrícia Pirota

Um comentário:

Luana disse...

De onde vc tira toda essa fabulosidade? Ah, sim! É talento puro! xD

Bjo
*

PS: Ta vendo como vc tem visitas sim?!