15 de agosto de 2006

Poemeto - Modernidades

"Jacarés apenas mofam girassóis.
Tucanos apenas encerram carvalhos.
Quero o abrigo cinza da fumaça,
o estridente tráfego da evolução.
Não quero saudar extinções,
ou cantar raridades.
Prefiro a Coke, Warhol, Monroe...
Não quero o regionalismo inútil
que enterra meu eu,
não o lírico,
mas aquele, cosmopolita,
que me dá o mundo
segurado nas mãos pelo signo
que revira na tumba
cada vez que um peixe pantaneiro
se esfrega em sua língua."
Patrícia Pirota

Um comentário:

Alessandro Fonseca disse...

Putz!!! Adorei teu poema, cabeçuda!!! E a crítica implícita aí (quase explícita, aliás!), foi muito bem sacada!!! Morte aos "parnasianos pernetas"!!!