18 de julho de 2006

Artigo Inútil - Caído da Mudança

Caído da mudança
(Ps: leia ouvindo I will survive na versão do Cake)
(Ps2:pode até não ter nada a ver com o artigo, mas essa música é muito boa!)
(Ps3:Você não gosta da música?Ouve o que você quiser então, uai...)

Sabe aquela velha expressão "como um cachorro que caiu da mudança" (ou alguma coisa assim.Geralmente as expressões mudam conforme o estado né.Se você for de Minas provavelmente vai falar "como um trem que caiu da coisa", mas enfim...)?
Pois eu sou a dita cuja que caiu. Sabe-se lá de que mudança, mas caiu.
Ando meio perdidinha (e se você acha que o "certo" é "meiA perdida" pode parar de ler meu artigo!!! ou então jure em nome da santa mãe língua portuguesa que nunca mais vai cometer esse pecado! jurou?! jura?! então pode continuar...). Dizem por aí que uma pessoa tem algumas fases de "crise" na personalidade durante sua estada nesse inferno de Dante. Na verdade eu não tenho problema nenhum com a minha personalidade, acho ela bem bacana. Divertida até. O único problema são os caminhos da tal.
Tem algum grande filósofo de buteco que disse por aí que os olhos são o espelho da alma(se não foi nenhum filósofo de buteco, sorry senhor filósofo de tumba!), mas o que realmente tem sido o espelho da alma é a roupa e a palavra(excluí-se aqui os "outdoors de tendências fashion vazios de plantão").
A roupa, porque ela diz tudo o que você quer(a não ser que você não tenha mais nenhuma roupa limpa e seja obrigado a vestir o que sobrou né). Olha só, se você está com vontade de apanhar e ser massacrado vá a um show de heavy metal com uma camiseta branca dizendo "100 por cento pagodeiro" (nossa!agora que visualizei a cena fiquei até com medo!); ou se você quer sexo(no caso feminino) vá a um jogo de futebol de mini cinto(ops!é saia), (ops2!também fiquei com medo depois de visualizar!). Bom, já deu pra entender né(melhor parar de visualizações porque hoje minha mente anda muito insana).
A palavra, porque ela literalmente diz tudo (a não ser que você esteja tentando falar como um membro da academia de letras, num bar, às 3 da manhã). Você é aquilo que você diz, ou aquilo que você cala.
Ah sim...Nesses tempos de internet não podemos excluir o "web space", mas será que dá pra deixar essa discussão pra um outro artigo? Porque já quase me perdi do que comecei a falar...
Voltando a tal da minha personalidade...Ou da sua...Whatever...
Tem dias em que a área do meu cérebro onde está hospedada minha personalidade vira um labirinto. Não sei se visto roxo ou branco, se falo como uma "mina" ou como uma executiva, se respiro ou penso (decisão extremamente dif´cil essa última rapaz...).
Pois então...Acho que essas tais crises de personalidade têm mais a ver com aquilo que o exterior produz em você, e com o que você processa e reproduz, do que com aquilo que você realmente é.Afinal, o tal do Darwin não dizia que somos um produto do meio? (sim!ele também falava da lei do mais forte, mas isso não tem nada a ver com meu artigo!) (tá...eu sei que meus artigos não têm muita coisa a ver com nada, mas posso continuar?!Depois discutimos teorias evolucionistas oká?!).
Freud(lê-se "Fróidi" viu!) dizia que até os sete anos uma pessoa já tinha sua personalidade formada. Mas e depois?! Depois nossa personalidade brinca de mímica?! "Ah!Esse ator é bacana então vou imitá-lo". Não, pra mim não(embora eu adore brincar de mímica).
Somos formados a cada dia. A cada frustração, a cada realização, e não só até entrarmos na escola.
Se fosse assim até hoje eu seria muda!Porque até os sete anos eu só falava quando era obrigada. E olha só no monstro que me tornei...Uma tempestade de palavras ambulante!
Mas voltando ao fato de eu ter caído de uma mudança qualquer, quase posso apostar que você também já se sentiu assim. Não vale época de vestibular, porque aquilo é tortura! Escolher aos 17 anos o que você vai ser quando crescer é sacanagem! Não há persona que resista. Lembra daquele monte de bolinhas pra preencher, e os nomes dos cursos dançando um samba na sua frente, até que você optou por um só pra acabar com a pressão psicológica? Ah não?!Você jura que é daqueles que já sabia o que ia ser quando crescesse desde pequeno? Lálálá pra você!
Hoje acordei com uma vontade desconhecida de ser séria(sim!me deu medo também!). Não que eu não seja, quando tento até que engano. Mas uma vontade de ter os mesmos propósitos das pessoas que acham que sonhos são apenas aqueles que estão na vitrine da padaria. Que o certo é trabalho-casa-trabalho. Aí, você que já leu alguma coisa minha, ou que me conhece, vai achar que enlouqueci! Calma,calma! Já voltei ao normal e ainda quero atuar na Malhação(risos tremendos! como se isso fosse normal!). Quero dizer que já desisti dessa tal personalidade. Há quem goste, mas não é pra mim.
Prefiro a tarde que não é azul de Drummond, ao quadro de natureza morta no lugar da janela do escritório.
Mas...E a sua personalidade, como vai? Tá bem trancadinha aí dentro de você? Ou anda como a minha que quer se jogar das mudanças da vida?

Patrícia Pirota julho/2006

4 comentários:

astroboy disse...

Tento pensar em coisas
Que não me deixem lembrar
Das noites em que
Fiz planos para
Trocar os meus olhos
Por estes restos de comida e
Cinzas de cigarro molhadas
Impressas no tapete
Em festas que estive
E ninguém me viu
Atirar bolo aos peixes hehe
a eu li ouvindo "just like heaven" CURE... hehehe
aqui nao tem seu mail..vai la o meu
bakelton@zipmail.com.br

kiss

Anônimo disse...

Nice colors. Keep up the good work. thnx!
»

eloir disse...

li seu blog. todo. rapidao. seus textos sao mto bons, apesar d ter certeza d ñ ser a pessoa apropriada p afirmar isso. gosto do modo como vc, mesmo colocando um mte d parenteses, consegue manter certa linearidade no txt. lembradno q vc faz questao d q o mesmo ñ seja linear.
isso sem falar na substancia propriamente dita q constitui, ñ o corpo, mas o espirito dos txts.
tem uma poesia q ora se revela, ora se vela e imprime um ritmo quase comovente, um contorno virtual azul entre a face negra das letrinhas q se vao dispondo d maneira falsamente descompromissada, e q conduz o pensamento ñ atraves do seu pensamento mas atraves do ponto comum entre as "nostalgias" suas e d quem a le. nostalgias alias sentidas por todos em mtos momentos, embora comumente negadas. gosto tb do modo como vc desmascara algumas ansias q temos, jogando a culpa apenas em vc, rs.
eh mais uma pele da minha retina q se descasca.
ñ vou ficar agora rasgando seda pro seu blog, pq vai parecer falsidade. ateh aqui eu disse sobre a impressao q tive, se escrever mais, devo começar a mentir.
d qualquer modo serei mais assiduo.
ñ tenho escrito praticamente nada e a unica coisa q me conforta eh q ainda projeto textos no meu cerebro e espero algum dia formatar algum e materializa-lo d modo mais plausivel, diferentemente dos desconexos q minha mao vez por outra vomita e q em poucos dias evaporam e men eu mesmo os revisito.
ñ esquece d me add no msn.

Anônimo disse...

I find some information here.