17 de julho de 2006

Artigo Inútil - Medo do escuro

Medo do escuro
(Ps:leia ouvindo Fake plastic trees do Radiohead, mas mantenha os objetos cortantes beeem longe)

Sabe quando você acorda(ou continua acordado...enfim...você entendeu né!) com aquela angústia absurda, e com o passado teimando em ficar assoprando no seu ouvido? Pois é...Estou assim...
Nem posso dizer que acordei assim, até porque já são três da manhã. E nem que vou dormir assim, porque definitivamente não vou dormir...
Mas estou assim...Fuçando meus subsolos, tentando achar alguma coisa que olhe pra mim e diga "Não esquenta não! Você tem muitas coisas boas do que se orgulhar!". Tá...Ahã...
Não quero que essa escrivinhação tome um rumo depressivo(ps: até porque se isso acontecer, danou-se!Acabaram meus valiuns...), mas quero compartilhar com você sobre nosso passado.
"Mas eu não tenho nada a ver com o SEU passado!", você pode estar gritando e quase fechando a tela, mas peraí! Você também viu a Xuxa (por si só um bom motivo pra anos de terapia), usou cabelo Xororó(terapia até a próxima encarnação!) e comeu Lolo e Chiclets(ufa!por esse não vamos a terapia...mas pela quantidade que eu comi, dá-lhe dentista!).
"Tá!E o que que tudo isso tem a ver com o título?". Bom...Um bom artista sempre coloca os títulos diametralmente opostos a sua obra (ps:caso você não tenha entendido, significa nada a ver com o que foi criado tá)... Mas na verdade, eu acho que eu tava falando sobre o passado né? Ou era sobre a angústia?
Ah!Enfim... O que na verdade tomou conta de mim hoje foi o medo do escuro (arrá!pra ninguém dizer que não tem nada a ver com o título!Vai que você tá lendo isso numa segunda...Aí já viu né...Mau humor na certa!) (ps:hoje é segunda!!!argh!). O medo de mecher no escuro do meu passado...
Tantas coisas que foram deixadas pra trás(e que eu jurava que ficassem todas embaixo da cama, pra sempre...), e que parecem que perderam o valor. Aqui eu não falo só dos discos do Menudo, dos gibis da Disney, e dos Legos (ps:quem nunca perdeu uma peça de Lego que atire o primeiro Playmobil!). Falo também de um pouco de nós...Sim, eu sei que isso faz parte da formação da personalidade e blábláblá...Mas, onde diabos foi parar aquele sorriso bobo quando eu via uma borboleta amarela? (ps:por falar nisso, se alguém encontrar uma borboleta amarela, diz que estou com saudades!Elas nunca mais apareceram...). Ou então aquelas bochechas vermelhas quando alguém me elogiava? E os príncipes encantados então?! (lálálá...tudo bem, nessa admito que forcei...mas se até a trouxa da Cinderela tinha um, porque eu não podia querer também?!).
Pois é...Acho que minha memória anda super lotada, e que acabei por deletar alguns arquivos sem querer, ou nem prestar atenção...
Mas...O que me faz parar pra pensar nisso, é que o tal do Seu Tempo sem-vergonha tá andando muito apressadinho ultimamente... Ainda lembro de quando o chato do Galvão gritou "é tetra!", e esse mês o Brasil já tá tentando o Hexa!(ps:pra você que é nerd anti-social, tetra e hexa são apenas prefixos de derivados de carbonos cíclicos; afinal, se você ainda não sabe o que raios é o tal "hexa", deve viver dentro de um laboratório pesquisando benzenos),(ps2: pra você que é social, não tente entender o que eu disse aos anti...isso não é coisa de gente normal tá...).
Hoje um aluno me perguntou o que significava "nostalgia". Dei a definição clássica de dicionário (afinal de contas sou uma professora de português né!), mas agora acho que deveria dizer outra coisa. Deveria ter dito que nostalgia é você fechar os olhos e lembrar do seu bambolê, e jurar que ele está agora na sua cintura. Ou então lembrar daqueles arranhões de subir na árvore pra pegar goiaba(embora eu nunca tenha subido em árvore pra pegar goiaba!pois é...primeiro porque nunca gostei de goiaba.segundo porque eu era gordinha demais pra subir em árvores...). Ou lembrar com saudade da farinha e da tinta que jogaram na sua cabeça no dia da matrícula na faculdade(malditos veteranos!).
Taí...A palavra certa é saudade...Talvez hoje eu esteja com saudade. Dizem que saudade dói. Mas em mim ela reverbera.
E quando ela cai em mim, lembro do escuro do meu futuro. Que, assim como o passado, tá escondido em algum canto. Mais um retrato em branco e preto da minha vida.
Estou com medo de sonhar acordada, mas até que ia ser bom acordar com um ursinho carinhoso nos braços, aquele cheirinho de novo inundando meus pulmôes (que naquela época não tinham nenhum pinguinho de monóxido de carbono, pobrezinhos) e todas as páginas do meu diário branquinhas, prontas pra guardarem minhas recordações.
Por falar nisso, onde raios será que eu enfiei meus diários?!

Patrícia Pirota julho/2006

7 comentários:

Ana_Cacau disse...

eu concordo

Ju disse...

Tudo isso porque era domingo! =]

Thais M. disse...

Patyyyyy, lindo lindo o que escreveu! concordo plenamente, como é estranho crescer e ver que as coisas simples da vida, que quando eramos criança já fazia valer o dia, hoje em dia pode não significar nada. é foda, amadurecer, criar personalidade...Como eu queria coisas do passado no presente =/

Danilo STaiLe disse...

Caraca!! Esse lance de lembrar do passado acontece comigo todos os dias, mas o pior é que eu lembro de cada coisa tosca meu!! Cada lugar que eu ando, cada calçada, cada nuvem que eu vejo me fazem lembrar de alguma coisa assim...
Hoje por exemplo, eu tava no trabalho (com aquele papelzinho na frente do relógio rs..) e aí me veio na cabeça uma coisa incrível:
Quando eu tinha 5 anos, eu ficava ouvindo discos de vinil dos meus pais no salão de festas da minha casa... entre os discos mais tocados estavam "40 Hits de Elvis", "Balão Mágico", "Roberto Carlos em ritmo de aventura"... e sabe o que é o pior.. parece que foi ontem! E sabe como eu lembrei disso? Foi automático!
Eu olhei pro relógio... 15:00... e aí eu pensei "eu podia ter 5 anos estar em casa morgando"...
Que saudade...

astroboy disse...

bem quando somos crianças ainda temos o pequeno gosto de sorvete de morango hehe mais quando se é grandinho O hálito cansado de um corpo pálido
trava sua batalha contra a neblina fria.
Dentro de botas úmidas artelhos corroem,
a carne arde e são seis horas,
nove horas, três horas e tudo bem.

emfim. o que espressar.

hasta

Anônimo disse...

Looks nice! Awesome content. Good job guys.
»

Anônimo disse...

I find some information here.